Crônica “Como as concebo…” – 28.11.2012

“Em crônicas anteriores, apresentei meu assessor gramatical, professor Linotipus de Azevedo, emérito caçador de erros em placas e anúncios. Aquele do “estrambótico”. Para complementar a vultosa aposentadoria que recebe como professor, dei-lhe uma vaga, com meio salário-mínimo, mais ajuda de custo para conserto de meia sola, pois o professor só anda a pé. Gosta de caminhar enquanto vai observando placas nas lojas. É de se ver quando encontra alguma falha de concordância ou de regência: seus olhos se iluminam, suas mãos se crispam, o sangue corre mais rápido nas veias….”

©mendes 2012 entre em contato
publicado no jornal Notícias do Dia  . 28.11.2012

Crônica “História de uma paixão” – 27.11.2012

Ilustração para a crônica de Donald Malschitzky

“A Banda Treml fora convidada para tocar o Hino Nacional na cerimônia de inauguração da vela. Por razões que só o pensamento marcial conhece, na hora de começar, foi desconvidada, e uma banda militar executou o Hino. Sem abalos, os músicos são-bentenses posicionaram-se na rua, poucos passos para trás do portão de saída; terminada a cerimônia, soltaram sua música e começaram a se deslocar em direção à Sala das Jangadas, no Museu. Foi uma mistura de “A Banda” de Chico Buarque, com o flautista de Hamelin: o povo – e parecia uma multidão – alegre e quase saltitando, seguia os músicos….”

©mendes 2012 entre em contato
publicado no jornal Notícias do Dia  . 27.11.2012